Pesquisa

ICB

Login: Senha:
Home » Programas » Pesquisa » Glicobiologia

Pesquisa em Glicobiologia

 

O Programa de Pesquisa em Glicobiologia (PPG) é um programa interdisciplinar focalizando o estudo da glicobiologia em diferentes vertentes: hemostasia, desenvolvimento e diferenciação celular, oncologia, agentes infecciosos e fertilização. Todas as áreas citadas incluem o desafio da determinação estrutural de carboidratos que formam estruturas complexas, fundamentais para muitos processos biológicos, como adesão célula-célula, crescimento celular, fertilização, infecção por parasitas etc. Além do estudo em mamíferos, se incluem pesquisas com material de outros vertebrados e invertebrados, além de micro-organismos.

Os grupos participantes têm inserção internacional, alta produtividade, iniciativa para formar e assimilar novos pesquisadores. Também estabelecem interações regulares com pesquisadores de diferentes áreas, uma vez que os carboidratos constituem as bases moleculares de diferentes eventos biológicos. A equipe do Programa tem atividade colaborativa e multidisciplinar, compatível com o reconhecido papel da glicobiologia como interface, entre diferentes áreas do conhecimento. O Programa de Glicobiologia tem um caráter interinstitucional porque agrega docentes alocados no Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), Instituto de Bioquímica Médica (IBqM), Instituto de Microbiologia (IM) e Faculdade de Medicina (FM). Essas características do Programa refletem-se nas suas atividades de pesquisa, graduação e extensão.

Os laboratórios envolvidos no Programa de Glicobiologia possuem linhas de pesquisa consolidadas na área de purificação e caracterização estrutural de glicoconjugados. O grupo também tem experiência na análise morfológica que permite a visualização de estruturas contendo glicoconjugados. A associação dessas abordagens tem permitido ao grupo a análise do envolvimento de carboidratos em diversos processos fisiológicos e patológicos. Alguns exemplos de estudos desenvolvidos pelo grupo incluem os seguintes tópicos:

Glicobiologia de invertebrados e anfíbios: isolamento e caracterização de polissacarídeos sulfatados de equinodermas, helmintos, tunicatos e anfíbios. Em paralelo foram identificadas as estruturas nesses organismos que contém os carboidratos através de estudos morfológicos. Nos anfíbios, a perspectiva é correlacionar os glicoconjugados com a biologia do tegumento em desenvolvimento. Nas esponjas, as interações carboidrato-carboidrato e a agregação de suas células serão estudadas.

Glicobiologia das patologias de vasos sanguíneos: estudo das proteínas do sistema de coagulação (especialmente serpinas) envolvidas em processos patológicos e em tecidos normais. Uma grande variedade de processos fisiológicos e patológicos é regulada por interações moleculares envolvendo glicoconjugados. Alguns exemplos dessas interações estudadas pelo grupo incluem as interações carboidratos-proteínas, como aquelas entre glicosaminoglicanos e proteínas do sistema de coagulação (serpinas e proteases), envolvidas na hemostasia normal ou gerando trombose em condições patológicas. Também estudamos as interações carboidrato-lipídeo que estão envolvidas na ligação de lipoproteínas plasmáticas (especialmente LDL) ao glicosaminoglicanos da parede vascular, desencadeando as lesões ateroscleróticas.

Glicobiologia das doenças inflamatórias intestinais: identificações das alterações moleculares que ocorrem nessas patologias, em particular envolvendo alterações na interação entre heparam sulfato e citocinas e mediadores inflamatórios. O grupo também procura novos polissacarídeos sulfatados que mimetizam a interação entre glicosaminoglicanos e citocinas. Esses novos compostos poderão se constituir em alternativas terapêuticas nas doenças inflamatórias intestinais.

Glicobiologia de processos neoplásicos: analisamos a expressão das proteínas de resistência a drogas, apoptóticas e heparanase no intuito de conhecer melhor a biologia do câncer de pulmão em diferentes aspectos de sua patogênese. A endoglucosidase heparanase, responsável pela quebra das moléculas de heparam sulfato da matriz extracelular, apresenta um papel importante na invasão tumoral e na caracterização do grau de agressividade de diversas neoplasias, estando associada a um mau prognóstico dos pacientes. Portanto, conhecer a maneira pela qual esta enzima atua na relação célula tumoral/microambiente das neoplasias de pulmão permitirá um acréscimo de conhecimento na biologia deste tumor e nos mecanismos de inibição desta enzima, como um possível alvo terapêutico.

Glicobiologia dos fungos: a ênfase desse projeto está no estudo da interação carboidrato-carboidrato e mecanismos secretórios dependentes de glicoesfingolipídeos. Tais processos representam eventos indispensáveis para fisiologia e patogenicidade dos fungos em estudo.

 

Apoio Financeiro do PPG

CNPq, FAPERJ, FAF-ONCO, PPSUS-FAPERJ, PRONEX


 


Docentes


Instituto de Ciências Biomédicas - Av. Carlos Chagas, 373 - bl.K, 2º andar, sala 35 - Prédio do Centro de Ciências da Saúde

Cidade Universitária, Ilha do Fundão - Rio de Janeiro - RJ, CEP 21941-902

Tels.: 2562-6674/6714 | E-mail:gabinete@icb.ufrj.br